Boi Major Espeteria e Restaurante

O Boi Major Espeteria e Restaurante, ou simplesmente Boi Major, é um bar localizado no Bairro São Pedro, região em torno da Savassi, em Belo Horizonte. O Boi Major serve espetinhos diversos, mas também pratos feitos, tropeiro, porções, caldos, porções de carne na brasa, alguns drinks, cachaças, cervejas da Heineken e o chorume da Ambev.

Considerando a região, o Boi Major tem um preço bem decente. Na data desta publicação, uma Kaiser ou uma Devassa não sai por mais de 6,90 reais. Os espetos também parecem um ou dois reais mais caros do que nestas espeterias semibaladas belo-horizontinas, mas são saborosos e vem acompanhados de batata frita ou mandioca cozida (eu esqueci se tem opção de farofa). O atendimento é muito bom, com o pessoal amigável e a qualidade do rango também é muito boa.

O cardápio não é muito diverso, o que não é algo per se ruim, pois vale mais a pena focar no que se sabe fazer bem ao invés de oferecer muito mas com qualidade meia boca, mas falha em não ter alguma opção de torresmo. De resto, tudo o que pude experimentar na cozinha é muito bom. Uma coisa que chama atenção é a porção de linguiça com anel de cebola: além de não ser algo fácil de achar por aí, é bem servida e tem um preço decente. O Boi Major também pode salvar a pátria no caso de você querer jantar ao invés de petiscar, com opções como mexidos e pratos feitos. Destes, o espaguete foi o que eu curti mais até agora.

A localização seria também muito boa, mas tem um problema quando venta muito. Se você estiver com medo de adoecer, é bom levar agasalho nos dias mais frios, pois só tem mesa na calçada. Também, dá para ver jogos no Boi Major com TV bem adequada que eles possuem. Só seria melhor se eles passassem uns filmes bons lá também nos dias que não passa jogo, mas aposto que os capangas da quadrilha conhecida como Ecad iriam lá embaçar…

O público é diverso. Dá para notar jovens, adultos e um pessoal mais velho. É geralmente bom, típico buteco de bairro mesmo. Mas, o público é, algumas vezes, um grande problema do Boi Major: em alguns dias, sabe se lá o porquê, dropa uma multidão de moleques daqueles que causam vergonha alheia e cringe por lá. A maioria são tipo aquele maconheirinho picapau metido a malaco, mas filhinho de papai e com o rego cheio de talco. Não tenho nada contra jovem e, normalmente, não me importaria nem um pouco com eles, sou tão compenetrado que, se um cara destes estiver levando um fatality do Brutal Doom na minha frente, eu nem iria perceber. Mas o problema é que, quando ajunta muitos deste tipo de jovem mentecapto, eles arrumam uma barulheira danada e ficam fumando essa porcaria fedorenta perto da gente. E tem uns que são piores ainda: tiram violão pra ficar berrando lá e queimando o filme feito gente sem vida que acha que pagar de débil mental os faz parecer menos fracassados. Preferia que ficassem fumando crack do meu lado do que ficar com esta palhaçada de ficar tocando violão no local. E ainda teve um pingolinha destes que teve a audácia de aparecer com um cavaquinho lá. Tipo… Enfim, felizmente, poucas vezes acontece de ter aglomeração destes filhos de mãe solteira por lá.

Pontos positivos

  • Preço justo na bebida e no rango, considerando a região;
  • Atendimento muito bom, com pessoal amigável;
  • Qualidade do rango muito boa;
  • Lugar arejado e aberto. Não tem barulheira por causa da falação alheia (exceto quando algum jacu tira instrumento musical ou fica berrando lá por algum motivo);
  • Dá pra ver jogo na TV, que não é nenhum telão enorme, mas bastante adequada;
  • Quando tem música tocando, eles tem um repertório agradável e fica num volume civilizado, quase ambiente. Não tem nenhum tipo de música ao vivo nem bandinha zeroula e isso é excelente;
  • Boa variedade de cervejas. Tem bastante opções da Heineken: Além da verdinha, tem Eisenbahn, Kaiser, Devassa e Itapava. Pra quem gosta de beber vômito anal, tem Ambev também.

Pontos negativos

  • Tipo, se fosse um estabelecimento zeroula gourmet desses que tem por aí, cujo o público alvo é aquele hipster andrógino e vegano e barangas com sovaco pintado, nem falava nada, mas é pênalti faltar torresmo em um típico bar de Minas Gerais para acompanhar a satisfatória opção de pingas que eles tem lá;
  • A localização é arejada e aberta, mas tem dias que venta demais lá e o cliente fica exposto. Felizmente, isso dá para contornar indo agasalhado em ocasiões.
  • Pode dar o azar de encontrar uma concentração muito alta de moleque lamental lá, embora não seja comum.

Aftermath

O Boi Major é um bar nada pretensioso e muito bom no que propõe. A qualidade da comida, as opções de cerveja e o preço certamente são atrativos. É daqueles botecos que você se sente em casa. Tem tudo para se estabelecer na região e virar um boteco de bairro, com público fiel e ganhando prestígio com o tempo, mas esses lixos que às vezes ficam enchendo o saco lá tinham que sumir, ainda mais que pouco custa ter algum menor bebendo no gaiato ali e isso dar um problemão pro dono com os parasitas do juizado de menores.

Saiba mais

Atenção: Esta resenha está sujeita a ficar desatualizada com o tempo, pois nada impede que a qualidade do estabelecimento, produto ou serviço se altere eventualmente. Fique atento à data da publicação e sinta-se livre para complementar ou corrigir o texto nos comentários. O Bolonha agradece desde já!

Carvão bom pro seu churrasco

Este é um artigo que o LichKing que fala sobre carvão para churrasco e sugere umas marcas. Ele fez no blog pessoal dele para colocar algum conteúdo no nosso blog e complementar o nosso vídeo que ensina a acender carvão, ou pelo menos um de vários que vamos fazer.

Carvão bom pro seu churrasco (com sugestão de marcas)

Mas então, o churrasquinho, algo relativamente simples de fazer e que oferece o seu intrínseco clima agradável (cervejinha, resenha etc.), é sempre uma da opções masculinas para cozinhar, visto que é muito difícil ficar muito ruim e não precisa de muito capricho. Entretanto, entre não ficar ruim e ficar bom, existe um mundo de diferença. E uma das coisas que fazem a diferença é o carvão.

Peça indispensável no churrasco, evidentemente, o carvão tem que ter três características, na minha opinião, para ser considerado bom: durabilidade, potência (para gerar calor) e estar seco.

Durabilidade é importante pois o carvão tem que atingir uma certa temperatura sem virar cinzas. Há quem diga que o fogo já tem que ser aceso uma hora antes de colocar a carne de boi. Imagina você desperdiçando aquela picanha caríssima num fogo rola cansada? Você pode até colocar mais carvão para compensar, mas vai ter que esperar ele pegar também. Sem contar que pode entupir a churrasqueira.

A potência, para mim, tem que ser forte. Carvão bom é aquele que você coloca a mão perto da altura da grelha e sente a sua mão queimando em 1 segundo. Claro que daí a atenção é redobrada para não queimar os bagulhos, especialmente o danado do pão de alho. Outra coisa a observar é a quantidade de carvão que você deverá meter na churrasqueira é menor do que o carvão genérico comum ou ruim. Se colocar muito, fica impraticável de mexer na parada, a não der que você tenha luvas de amianto ou algo do tipo.

Já a questão de estar seco pode parecer óbvia, mesmo porque não creio (embora também não duvidaria) que alguém venderia carvão úmido. Porém, vale a pena observar onde você guarda o material ou onde ele é oferecido pra sua venda. Ele tem que ser estocado de modo a impedi-lo de absorver umidade e tal. Carvão molhado é uma desgraça. Difícil para acender e mais difícil ainda de esquentar. A não ser que você for doente mental como o Facínora, que conseguiu acender churrasqueira com carvão literalmente encharcado, você vai querer manter este combustível, seja ele de qualquer marca, em um lugar que o mantenha seco.

Pois bem, agora vamos ao que interessa: as marcas de carvão.

Santa Branca

Santa Branca

O Santa Branca é a minha marca preferida. Fácil de pegar fogo, produz muito calor e dura bastante. Encontro ela em BH vendendo em farmácias da rede Araújo e no Mercado Distrital do Cruzeiro. É bem provável que venda em outros lugares também, pois muita gente também reconhece sua qualidade.

Carvão Tropical

Carvão Tropical

Este carvão apareceu lá na casa da minha avó. Não sei quem comprou, nem onde, mas achei este carvão de qualidade como o Santa Branca. Eu acho que ele não é de Minas Gerais. Se o saco ainda estiver lá, vou averiguar e atualizo aqui.

Carvão Mandabrasa

Carvão Mandabrasa

Mesma coisa do Tropical. Também apareceu por lá e achei de boa também. A vantagem da foto acima é que já tem até o telefone caso você queira comprar etc.

Ricarvão

Embora eu considere o Ricarvão meio overrated (o pessoal paga pau, mas eu prefiro o Santa Branca), é uma marca boa independente disso. O Ricarvão pega fácil, dura bastante e nunca aconteceu de pegarmos um saco úmido como acontece com marcas inferiores. Parece que algumas churrascarias famosas daqui de Belo Horizonte usam o Ricarvão, fato que eu pretendo confirmar.

Como acender churrasqueira com óleo

Como dito acima, este artigo foi feito para complementar o vídeo abaixo, que era pra ser o nosso primeiro, mas demorou pra sair pois eu queria deixar ele o melhor possível. Ele ensina como acender churrasqueira usando óleo de uma forma simples que evita excesso de fumaça e desperdício: