Review da cerveja Nossa (Wäls)

Experimentei a cerveja Nossa, da Wäls, outro dia e resolvi fazer um review aqui curtinho. Segundo consta, ela foi desenvolvida em parceria com a rede Super Nosso e é uma Vienna Lager com teor alcoólico de 5% e 28 IBUS. Meu pai comprou uma garrafa e a Wäls ainda mantém uns rótulos bons, apesar de ter sido comprada pela Ambev, então tive que dar um corte pra ver o que pega.

Vienna Lager, a propósito, é um tipo de breja que foi criado por Anton Dreher em 1840, em Viena, na Áustria (daí seu nome). Embora este estilo esteja praticamente extinto em sua cidade de origem, ele continua vivo nas Américas, em especial no México, onde foi introduzido por Santiago Graf e outros imigrantes austríacos no final do Séc. XIX, onde se adotou esse estilo que mantém-se em alta até hoje.

Aparência: A Nossa foi apresentada oficialmente como uma “cerveja puro malte extra clara”, mas ou sou daltônico ou erraram na propaganda. Ela é mais escura, mas nada como uma cerveja preta e é translúcida. Aliás, ela é meio âmbar (na cor, não tem cheiro almiscarado que você gosta). Não notei a carbonação, mas não deve ter sido nada além do normal, senão teria reparado.

Aroma: A cerveja tem um aroma lupulado, mas não é muito forte (e meu nariz não é dos melhores). Não tem cheiro cítrico como outros rótulos desta cervejaria.

Sabor: Acho que o sabor segue o aroma, levemente lupulado, com o malte mais em evidência. O amargor é equilibrado e deixa um pouco de gosto de café na boca no fim.

Aftermath: É uma cerveja bem equilibrada, não exagerando em nenhum dos sentidos, mas é bem encorpada, o que é ponto positivo. Porém, não gostei tanto dela ao ponto de querer comprar pra tomar de novo. Claro, voltar pra Sub Zero depois foi dureza, parecia água suja. Entretanto, diz-se que esta cerveja foi escolhida para harmonizar com uma linha de carne Angus do Super Nosso lançada recentemente, então, acho que vale a pena experimentar num churrasco ou algo do tipo.

Resenha do Evil Dead (2013)

Esta é a resenha do remake do Evil Dead (A Morte do Demônio), filme americano lançado em 2013 que recria umas das mais importantes e cultuadas obras de terror de todos os tempos, o Evil Dead, de 1981. O texto foi originalmente feito pelo LichKing, mas como ele passou o conteúdo pra gente, dei uma garibada e coloquei minhas considerações junto.

Evil Dead conta a história de quatro amigos quando se reúnem em uma antiga cabana da família para ajudar Mia, irmã de David, a passar por um período de abstinência e se livrar das drogas. Só que aconteceram coisas macabras e sinistras no local, e seus vestígios ainda podem ser encontrados no porão da casa, junto com um peculiar livro escrito em sangue e encadernado com pele humana.

Por alguma razão estúpida, o livro, que a gente sabe ser o Naturom Demonto (o Necronomicon do Evil Dead), ficou lá, mesmo sabendo-se do terrível Mal que este traz. Também, por alguma razão imbecil, um dos amigos, o Eric, resolveu ler esta obra de literatura em voz alta. Quem conhece a franquia sabe que daí a parada fica meio complicada.

Como fã da série, o LichKing foi assistir este remake do Evil Dead logo na sua estreia, numa das primeiras sessões (eu, o Facínora, já não faço isso, exceto se a sala tiver vazia). As cenas dos trailers são bem sanguinárias, então eu já estava esperando uma carnificina… E é praticamente só isso que o filme oferece.

Sim. O ponto forte do filme são mortes e violência que me lembram os fatalities do Mortal Kombat (algumas bem exageradas), o filme não assusta (pelo menos eu não levei susto algum), não oferece terror psicológico e você não sente empatia por nenhum personagem, apesar de eu gostar da atuação de todos. Algumas partes podem dar um pouco de aflição, tipo quando a mina resolve serrar a língua com a faca elétrica, mas não chega a dar suspense.

Apesar de várias pequenas ligações e menções dos filmes originais da série (inclusive uma mudança que foi totalmente ridícula vista no final), mudaram profundamente a história (não sei como eles iriam fazer pra misturar as duas em um Army of Darkness 2 ou Evil Dead 4, como estavam planejando antes de lançarem a série Ash vs. Evil Dead) ao ponto de você não se empolgar muito.

Achei que foi bem produzido, contando com uma filmagem limpa e enredo coerente etc. Porém, não gosto de filmes que só focam no gore, sem profundidade psicológica. Na minha opinião, este remake poderia ter sido bem melhor.

Dizem que é o Evil Dead mais assustador que jamais iríamos assistir, porém, eu não levei um susto sequer. Enfim… Vale a pena dar uma curiada, só não espere muito… Ash vs. Evil Dead é bem melhor.

Trailer

Ficha Técnica

  • Título: Evil Dead (2013)
  • Título brasileiro: A Morte Do Demônio
  • Duração: 91 minutos
  • Gênero: Terror, Zumbis, Sobrenatural
  • Dirigido por: Fede Alvarez
  • Escrito por: Fede Alvarez e Rodo Sayagues
  • Elenco Principal: Jane Levy, Shiloh Fernandez, Lou Taylor Pucci, Jessica Lucas e Elizabeth Blackmore
  • País: Estados Unidos

Saiba Mais

Resenha do filme Tenebrae (Tenebre)

O Tenebrae, ou Tenebre, é um filme de terror escrito e dirigido por Dario Argento lançado no dia 20 de outubro de 1982. Esta obra italiana tem Anthony Franciosa, John Saxon e Daria Nicolodi no elenco e conta a história de um escritor famoso que se vê cercado de uma série de assassinatos que seguem as mesmas características do seu último best seller, Tenebrae.

Esta resenha, aliás, foi o tema do nosso nono Cine Clube Bolonha de Cinema:

Resolvi fazer a resenha deste filme depois de ter explorado o Tenebrae [1], um mod para Doom criado pelo Pedro VC que é inspirado nas obras cinematográficas de Argento e outros grandes nomes do gênero, como Lucio Fulci. Valeu a pena, embora eu, talvez devido a ignorância, não tenha percebido a semelhança entre o filme e o mod, pelo menos no quesito de enredo. O filme é bem assistível, segue a história de forma racional, embora tenha partes de interpretação subjetiva ou não explícita e alguns elementos de terror experimental que o próprio Fulci teria mexido em outras ocasiões passadas.

Tipo, não é um filme ruim de forma alguma o enredo é certamente interessante pra te manter envolvido, mas realmente esperava algo mais impressionante, talvez mais pela atmosfera extremamente sombria e horripilante do mod, que já tá lá na Gaming Room, do que pela reputação de Argento. Também, no tópico onde o Pedro VC divulgou o WAD, alguém falou que o John Saxon, ator americano que interpretou o Bullmer no filme, era fodão no Tenebrae, mas nem era. Era até meio zeroula. Ele foi do caralho mesmo no Enter The Dragon (Operação Dragão), aquele filme do Bruce Lee dos mais famosos que eu achava quando pequeno que Saxon era o James Bond, embora seu personagem nem inglês fosse.

Enfim, o Tenebrae é bom. Não achei fantástico e não tem nada de sobrenatural (é um filme que pode ser encaixado no gênero “giallo”, mais policial) pelo menos explicitamente, mas é bem estruturado pra te envolver sem se perder com aquelas cenas esquisitas abstratas que dependem de supostas interpretações subjetivas para apreciar, o que, no fim das contas, resume-se a coisa de manja rola.

Se você curte Dario Argento, acho que nem precisava de recomendar este título que parece ser um dos mais populares dele. Se você só conhece ele por causa daquela filha vagabunda dele que denunciou supostos abusos, mas ela mesmo é acusada de abusar de menores, pode ser que goste também. E o mod é bacana e tem seu mérito, embora eu não goste muito de explorar mapas, ainda mais escuros e tenebrosos daquele jeito, e precise de balanceamento em alguns aspectos.

Aftermath

O Tenebrae tem um enredo coerente e consistente, sendo um dos trabalhos de Argento não apenas dos mais famosos, mas que foge daquele tipo de coisa que depende de interpretações subjetiva de um monte de cenas desconexas. O filme tem alguns elementos sublimes, carrega-se simbologia em algumas partes e tal, mas vi isto mais como um extra, pois não impede de apreciar e de entender a história. Também gostei muito pelo fato de ser algo bem original. Por exemplo, o policial que investiga os assassinatos gosta de tomar uma birita mesmo durante o trabalho, ao contrário do clichê “nunca bebo em serviço”.

Trailer

Ficha técnica

  • Título: Tenebrae (Tenebre no Brasil) (1982)
  • Duração: 101 minutos Gênero: Terror/Policial/Giallo
  • Dirigido e escrito por: Dario Argento
  • Elenco Principal: Anthony Franciosa, John Saxon, Daria Nicolodi, Christian Borromeo, Mirella D’Angelo e Giuliano Gemma
  • País: Itália

Veja também

  1. Tenebrae – O mod para Doom brasileiro inspirado em trabalhos do Dario Argento e Lucio Fulci que me animou a assistir e fazer a resenha do filme.